Perdão

A definição básica de perdão é absolvição (perdão de pecados, culpas, erros ou faltas; resolução de problema; solução). Mas para mim é liberdade, é tirar um peso de nossos ombros. Eu estava há algum tempo fechada, me sentindo para baixo sem entender o motivo. Foi então que eu tive um sonho, estranho a princípio, mas que no fim do dia fez todo o sentido. O sentido de tudo era perdoar, se livrar do peso que estava preso em meus ombros. Quando eu finalmente disse que perdoava, eu consegui sorrir. Respirei fundo e sorri de verdade. Eu estava em paz. Meus pensamentos já não estavam atormentados nem violentos, apenas se aquietaram.

Como se fosse instantâneo, todos os pensamentos negativos que habitavam minha mente se foram. Eu decidi por mim perdoar, ninguém me influenciou. Foi então que eu percebi que recuperara minhas forças para lutar sozinha contra todo e qualquer problema. Percebi que tudo ficou no passado e nele deveria permanecer. Eu estava alimentando a dor dentro de mim em cada pensamento que eu tinha. Cada memória que eu tentava sufocar, crescia ainda mais antes que eu perdoasse. Cada lágrima contida, escorria pelo meus rosto nos momentos mais inesperados.

Eu não posso dizer que vou esquecer, porque foi uma parte da minha vida. Uma parte intensa, mesmo que em pouco tempo. Eu não posso fazer uma performance de que estou bem e tudo acabou, não. Eu apenas parei de me machucar, parei de fingir que aquilo não havia acontecido. Deixei a raiva de lado, deixei de ver a situação de maneira tão emocional e vi pelo lado racional. Estava acabado, quebrado antes mesmo que pudesse ser consertado. Quando eu parti, caminhei em frente, eu carregara a dor em meus ombros e ela então tomou conta do meu ser. Ela me afundou aos poucos, me fez ficar irritada, irada, desconfiada e chorosa.

Isso tudo foi uma dolorosa lição, mas também de certa forma esclarecedora. Neste exato momento, enquanto escrevo e ouço minha banda predileta, tudo parece ter evoluído. Eu poderia dizer que tudo voltar a ser o que era, mas seria errado. Seria retrógrado. Eu posso lhe dizer que finalmente segui em frente, eu soltei meu perdão e as dores como quem solta balões. Guardei as boas memórias, tirando lições dos momentos ruins e recomeçando minha vida. Porque afinal, quando algo acaba, não significa necessariamente o nosso próprio fim.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s